Lavar as mãos: uma questão de atitude

 

Desde pequenos ouvimos recomendações dos nossos pais para lavarmos as mãos em diversas situações. Na infância nem sempre prestamos atenção para a importância desta simples atitude, que é fundamental para manter a saúde em dia.

Todo mundo precisa estar atento a esse hábito e quem trabalha em alguns ambientes, em especial, deve ter cuidado redobrado. É o caso dos profissionais que atuam em clínicas médicas e odontológicas, laboratórios, hospitais, indústrias de alimentos, entre outros.

Especialistas apontam que as mãos são o principal veículo transmissor de microorganismos de uma pessoa para outra, por isso vale destacar que higienizá-las leva pouquíssimo tempo e evita muitas doenças, como gripes e resfriados, diarréias, hepatites, entre outras transmitidas por vírus e bactérias. Além disso, este hábito é altamente eficaz no combate das infecções hospitalares.

Isso nos leva há mais de um século, cerca de 160 anos atrás, quando o médico húngaro Ignaz Philipp Semmelweis, após inúmeras e detalhadas pesquisas, descobriu a importância da higienização das mãos no controle das infecções hospitalares. Ele estudou amplamente a febre pós parto, que levava muitas mulheres à morte. A partir disso, formulou sua teoria fundamentada na assepsia das mãos como cuidado básico antes de procedimentos médicos, e que continua sendo uma medida atual no controle das infecções, além de ser o cuidado preventivo mais comum e eficaz para impedir contaminações.

 

 

O ato de lavar as mãos é fundamental quando o assunto é preservar a sua saúde e das pessoas a sua volta. Assim, devido a sua importância, foi criado o Dia Mundial de Lavar as Mãos, comemorado em 15 de outubro e celebrado em mais de 85 países. O objetivo é chamar a atenção e conscientizar as pessoas do quanto este hábito tão simples e econômico é essencial para prevenir doenças.

Iniciado em 2008, o Dia Mundial de Lavar as Mãos é apoiado por diversos governantes, por instituições internacionais, ONGs (Organizações Não-Governamentais), empresas e pessoas ao redor do mundo.

Outra data relacionada ao tema é o Dia Mundial de Higienização das Mãos, comemorado em 05 de maio, que é direcionado a ações para conscientizar profissionais de saúde, governo e administradores hospitalares em relação a este cuidado.

Também é possível destacar que o ato de lavar as mãos está em constante evolução, considerando a variedade de produtos de higienização disponíveis. Além do sabão, temos os sabonetes em barra, os líquidos e os antibacterianos, os detergentes, as espumas e por aí vai. Isso sem falar nos inúmeros modelos de torneiras, que nos proporcionam diferentes experiências, como as comuns, as de pressão, as sensíveis ao toque ou aquelas com sensores e que dispensam o contato manual.

Independente dos produtos escolhidos, há dicas de como lavar as mãos corretamente.

 

 

Recomendações do Ministério da Saúde apontam:

Molhe as mãos com água e aplique sabonete;
Ensaboe as mãos esfregando uma na outra;
Esfregue a palma de uma das mãos nas costas da outra, entrelaçando os dedos e vice-versa;
Entrelace as mãos e esfregue bem os espaços entre os dedos;
Enxague bem as mãos com água;
Seque as mãos com papel toalha e, ao utilizá-lo, feche a torneira.

A orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que o procedimento dure de 40 a 60 segundos. Vale lembrar que a torneira deve ficar fechada enquanto as mãos são ensaboadas.

Lavar as mãos é investir em saúde, prevenção, qualidade de vida. É prova de cuidado e responsabilidade com você mesmo e com os outros. Adote esta atitude!